Ir para o conteúdo

Prefeitura Municipal de Ilhabela e os cookies: nosso site usa cookies para melhorar a sua experiência de navegação. Ao continuar você concorda com a nossa Política de Cookies e Privacidade.
ACEITAR
PERSONALIZAR
Política de Cookies e Privacidade
Personalize as suas preferências de cookies.

Clique aqui e consulte nossas políticas.
Cookies necessários
Cookies de estatísticas
SALVAR
Notícias
Enviar para um amigo!
Indique essa página para um amigo com seus dados
Obs: campos com asterisco () são obrigatórios.
Enviando indicação. Por favor, aguarde...
FEV
01
01 FEV 2024
MEIO AMBIENTE
Prefeitura reforça necessidade de conscientização ambiental para descarte adequado do lixo reciclável
enviar para um amigo
receba notícias
Todos os meses o Centro de Triagem de Ilhabela, sob gestão da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, recebe toneladas de materiais recicláveis que podem ser convertidos e transformados em novos produtos. Contudo, o descarte inadequado por parte de moradores e turistas impede que uma parcela considerável do total seja reciclada. Leia mais
Todos os meses o Centro de Triagem de Ilhabela, sob gestão da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, recebe toneladas de materiais recicláveis que podem ser convertidos e transformados em novos produtos. Contudo, o descarte inadequado por parte de moradores e turistas impede que uma parcela considerável do total seja reciclada. Hoje, até 17% do lixo reciclável de Ilhabela ainda é descartado por conta de destinação inadequada de moradores e turistas. No último mês de dezembro 15 toneladas tiveram que ser descartadas como resíduo para o lixo comum, representando um pouco mais de 17% do total de recicláveis no período. “Por ser uma cidade turística, há variação sazonal na quantidade recolhida. O montante pode até quadriplicar, conforme ocorreu no final de 2023. O material passível de reciclagem saltou de 22 toneladas, em novembro, para 86 toneladas em dezembro. Por isso, a conscientização de turistas também é fundamental para o sucesso no reaproveitamento e transformação do lixo em um ativo ambiental”, destaca a Secretaria de Meio Ambiente, Kátia Freire. Produtos recicláveis É importante que todos saibam os materiais que podem ser reciclados e evitem o descarte inadequado. Entre os mais importantes, papel, papelão, vidros, embalagens de leite, pneus e plásticos em geral, principalmente garrafas PET. Já a principal razão para a inutilização dos produtos é a falta de limpeza básica e mal acondicionamento, como a exposição a chuva no caso de papel e papelão. Além disso, ainda há moradores que misturam o lixo reciclável com o orgânico, conforme relata a Secretária de Meio Ambiente, Kátia Freire. “Hoje possuímos o Centro de Triagem e mesmo assim vemos ainda moradores que insistem em misturar os tipos de resíduos. É só separar e fazer uma limpeza básica, uma passada de água para tirar a matéria orgânica e pronto, já podemos reaproveitar o material”, ressalta. A secretária ainda reforça a necessidade de deixar o lixo nos dias corretos e evitar a contaminação do reciclável. “Em Ilhabela temos três tipos de coletas de resíduos em dias diferentes. Se o morador descarta o orgânico no dia errado aquela sacola pode ficar ali, próxima ao reciclável, e pode ser rasgada por cachorros ou até mesmo outros animais, contaminando o material reciclável”, explica. Para saber o dia correto para o descarte do seu lixo, tanto o orgânico quanto o reciclável, é só conferir no link https://www.ilhabela.sp.gov.br/servicos/coleta-de-lixo/ . Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) Além do recolhimento residencial de recicláveis, Ilhabela possui 12 Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s) de vidro espalhados em diferentes pontos da cidade e que já recolheram mais de 16 toneladas em 2023. Até para o material eletrônico também há solução. A Secretaria de Meio Ambiente disponibiliza PEV’s itinerantes para esses objetos, instalados em estacionamentos de supermercados. Destinação Todo o lixo de Ilhabela recolhido é enviado ao continente. O reciclável vai para o Centro de Triagem, onde é triado, separado e prensado em fardos de acordo com o tipo de produto e destinado a local ambientalmente adequado. Já o orgânico é enviado diretamente para um aterro sanitário devidamente licenciado junto ao órgão ambiental competente.